Temos de nos preocupar com a parte espiritual de nossas vidas?

10:57 4 Comments A+ a-


Muitos se confundem quando acreditam que têm ou não têm de se preocupar com a parte espiritual de suas vidas. A bem da verdade, a palavra não é essa!
Cada um de nós busca o conhecimento sobre as verdades do plano imaterial por uma razão particular: porque sente que algo está errado, que não pode haver somente violência, corrupção, injustiça ao nosso redor, porque tem de existir algo maior do que o que a gente enxerga...
Na maioria das vezes, fazemos isso porque nos sentimos desamparados. Começamos a duvidar da providência divina e nos sentimos orfãos. E é exatamente porque não compreendemos o que está acontecendo ao nosso redor (no plano material) é que buscamos respostas que nos ajudarão a saber como agir (interna e/ou externamente) diante de tanta degradação moral, ética e intelectual. Mas, essas mazelas nos incomodam também porque estão sendo flagradas em nosso mundo interior: a violência sentida em nosso coração, a revolta que assola o nosso eu diante das injustiças que presenciamos, a falta de empatia que enxergamos no outro, e até em nós mesmos, frente às necessidades do próximo... tudo isso e muito mais está em nosso mundo interior, mas que não eram sentidos como hoje.
Desde os tempos imemoriais, nós agimos assim, com corrupção, com violência, com imaturidade emocional e eu me pergunto: como somente agora estamos tão incomodados com algo que já existe desde sempre? É porque tudo isso estava longe de nós, não nos atingia diretamente, fazia parte da vida "dos outros". Mas, agora, a violência está nas nossas portas; as guerras, a corrupção, em nossos lares (através da televisão, por exemplo), nos fazendo nos depararmos com a nossa própria violência e corrupção (em patamares menores, mas dolorosos para quem se dizia íntegro)... E, frente a tudo isso, nossos sentimentos e emoções borbulham, nos incomodam.
A verdade é que nada fazemos para mudar a nossa realidade se não nos incomodarmos com o que vemos e não nos aprofundarmos em nós mesmos para possíveis mudanças.
Não somos obrigados a buscar, ou nos preocupar, com o nosso mundo interior ou com o mundo espiritual (que fazem parte do mundo incorpóreo), mas, nós que o fazemos, percebemos que esse encontro nos permite sentir uma paz íntima, apesar de todos esses tormentos.
Nossos olhos se abrem um pouquinho mais para percebermos que tudo o que está acontecendo não é novidade para a humanidade e, ainda assim, Deus não nos abandona. Como dizia, desde os tempos imemoriais, a humanidade vive essas mazelas, mas, apesar disso, estamos crescendo. E percebemos isso porque nos sentimos crescer, através de nossas observações internas. E é por isso que chegou a hora de todos esses desvirtuamentos mundanos serem mostrados, escancarados para nós, porque já estamos tendo maturidade para vê-los e enfrentá-los.
O mundo é um lugar maravilhoso, mas imaturo. Precisa de bons líderes, mas também precisa de um bom povo que mude muitos de seus conceitos sobre integridade, honestidade, merecimento... E isso só acontecerá se formos chacoalhados, balançados em nossas bases, em nossas zonas de conforto. Vivenciando e sentindo tudo isso, como ficamos se não acreditarmos que estamos sendo protegidos, amparados pelo  Criador? Tudo isso que desejamos (mudanças para a humanidade e para a nossa vida diária) só alcançaremos quando pudermos ter olhos para ver. Muitos só abrirão os seus olhos quando perceberem que tudo isso está vinculado também à sua vida imaterial, suas responsabilidades diante de suas escolhas diárias e a necessidade de vivenciarem todas as experiências de sua vida, percebendo como reagirão em relação às mesmas. Para muitos de nós, sem essas bases, nos sentimos angustiados, desmotivados, sem chão... sem esperança.
Por tudo isso, buscar as verdades espirituais deixa de ser algo com que nos preocupamos e se torna algo que necessitamos, porque elas servirão como instrumentos para nos fortalecermos diante dessa "dor" moral em que vivemos em nosso país e no mundo, e nos tornaremos proativos para que as mudanças ocorram.
Se me perguntarem porque eu busco as verdades espirituais, eu respondo sem medo: é porque eu preciso saber que o que parece ser o caos ao meu redor é tão somente Deus agindo para o esclarecimento de todos os seus filhos.

4 comentários

Write comentários
19 de novembro de 2017 12:33 delete

Ola Adriana ,boa tarde ,e tudo que eu precisava ,ver ,ouvir e sentir,obrigado irma amiga ,aprendendo sempre ,

Reply
avatar
20 de novembro de 2017 09:58 delete

Que bom Solange que podemos aprender sempre juntas! Um abraço carinhoso.

Reply
avatar
4 de fevereiro de 2018 20:41 delete

Mesmo que busquemos as verdades espirituais, ainda assim acredito que só chegará até nós aquilo que realmente precisamos saber para a nossa vivência no mundo material. Acho que das muitas informações que nos chega, um dos desafios é justamente saber trazer aquilo que importa para o nosso momento, e buscarmos um equilíbrio entre a nossa consciência material e espiritual. Viver demais com a cabeça em somente um dos mundos nos impedirá de conseguir aprendizados de forma mais rápida. Temos que pensar a curto prazo (vida terrena - morte), e também a longo prazo (vida espiritual - eternidade).

Reply
avatar
5 de fevereiro de 2018 12:02 delete

Concordo com você, Henderson! Nem tanto um, tampouco só o outro. Precisamos viver a nossa vida plenamente e certo é que ela se resume nos dois planos de nossa existência. Que possamos medir bem o que nos chega, sem obsessividade, que aprenderemos muito, porque o que vier vem temperada com a sabedoria divina e é o que precisamos.
Abraços fraternos.

Reply
avatar