Confira entrevista realizada em bate-papo na Editora Dufaux

12:10 0 Comments A+ a-

Em bate-papo realizado na Editora Dufaux, falei um pouco sobre minha vida e experiências pessoais, trajetória no espiritismo e autoconhecimento. Confira a primeira parte dessa conversa.

1 – Quem é Adriana Machado?

Eu sou mãe, filha, esposa, irmã, sobrinha, nora, cunhada e outros, e ainda participo, juntamente com amigos espirituais queridos, da elaboração de livros que trazem consolo e paz. Dizem que isso é ser escritora (risos).

2 - Como você se descreve? 

Eu me vejo como uma pessoa de temperamento forte, rigorosa nos meus objetivos, organizada, uma boa amiga (mas isso só os amigos podem afirmar - risos). Descrevo-me como uma pessoa meiga, carinhosa e honesta.
Sou uma pessoa otimista e vejo o mundo com os olhos de quem acredita na existência do bem. Não quero enxergar no outro uma ação maldosa que ele ainda não tenha me mostrado. Prefiro a decepção do que a ansiedade de encontrar algo que me desagrade no próximo.

3 - Como médium, você busca por sabedoria?

Tenho muita sede do saber. Mas, esse “Saber” é bastante diversificado. Quero muito aprender sobre as coisas. Sempre gostei de observar as pessoas fazendo as suas atividades, como consertar um aparelho, instalar um equipamento, trocar uma lâmpada. Mas, a minha sede de aprender, hoje, está muito voltada para encontrar os instrumentos que me ajudarão a lapidar todos aqueles resquícios de imperfeição que enxergo em mim todos os dias.
Por isso, trabalho com todo o meu coração nas atividades mediúnicas e sociais que realizamos na Fraternidade, para colocar, na prática, o que escuto a cada dia do meu viver.

4 – Fale sobre a fraternidade que você fundou.

Ah! A Fraternidade é o meu segundo lar. É onde me vejo como aprendiz, como professora, como amiga, como auxiliadora, como cristã! Fundamos a Fraternidade no ano de 1998, porque o grupo espiritual que nos assistia nos convidou para abraçarmos uma tarefa de auxílio e amparo com parâmetros um pouquinho diferenciados dos que existiam até então. Que não seríamos os únicos, mas que não haveria na nossa cidade de Vitória, no Espírito Santo, uma Instituição que nos abrigaria com aquela proposta. Neste ano, fazemos dezessete anos de muito trabalho, dedicação e amor a todos que nos visitam, sejam os da carne, sejam os do mundo maior, e a cada dia parece que mais e mais temos de aprender para continuarmos nos doando. Trabalhamos com muito empenho e é com alegria que desejamos aprender.