Minhas considerações sobre o livro "Um Jovem Obsessor"

consideracoes-um-jovem-obsessor


Amigos, 

Logo após termos lançado a obra Um Jovem Obsessor, neste ano de 2019, fui convidada pela Editora Dufaux para levar aos leitores minhas considerações sobre ela.

Adorei essa oportunidade, porque este livro me trouxe tantos aprendizados que gostaria de trocar minhas experiências, pelo menos um pouco, com cada um de vocês.
Quantos ensinamentos você acha que pode obter com um espírito obsessor? Descobri que são muitos.

O artigo se divide em duas partes, onde, na primeira parte, eu conto para vocês alguns dos muitos aprendizados que tive com o relato do autor espiritual sobre a sua vida e, na segunda parte, o que senti e absorvi ao escrever esse livro. Cliquem aí para vocês poderem refletir junto comigo em cada uma delas.
Até psicografar esta obra, eu acreditava que os espíritos obsessores somente nos ensinavam, indiretamente, através da dor, porque nos processos obsessivos, somos obrigados a dar um basta nos caminhos equivocados que adotamos em função das nossas escolhas.
Eu tinha razão? Em parte, sim, mas descobri que esses ensinamentos vão muito além e que os aprendizados se realizam de um lado a outro da relação obsessiva.

E como nos iludimos pensando que tudo é culpa dos outros, não nos atentamos para as nossas próprias responsabilidades:
Se somos alvos de processos de influenciação, se estamos abertos para aceitar as más influências é porque estamos nos concentrando em valores que não servem para nos proteger nem de nós mesmos.

Sorte nossa que não estamos sozinhos e que Alguém, muito mais sábio que nós, está a nos velar e proteger:
Mas, não podemos esquecer que estamos falando sobre a vida e que a Providência Divina está atuando ativamente para o nosso crescer.

Muitos foram os aprendizados que o autor espiritual Jefferson nos trouxe, desmistificando algumas vertentes de visões deturpadas sobre a coexistência entre os mundos espiritual e material, mas antes de tudo sobre quem são aqueles que, por ignorância nossa, esquecemos que são tão filhos de Deus quanto qualquer um de nós:

Na história de Jefferson, enxerguei a humanização destes obsessores que vivem na ignorância das verdades divinas.

Para quem ficou curioso, clique na primeira e segunda parte deste artigo super interessante.

Boa leitura a todos.

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário que responderei assim que puder.
Abraços fraternos.

My Instagram

Copyright © Adriana Machado - Escritora. Made with by OddThemes