Mediunidade na programação de uma vida – Parte II

17:16 4 Comments A+ a-



Ao final do artigo anterior, afirmamos que “Mais do que isso, porém, a mediunidade na programação de uma vida é ser mais um instrumento de evolução e de perdão pessoal do obreiro para consigo mesmo diante das suas próprias mazelas”.
Prometemos que iríamos dar continuidade ao assunto e é isso que faremos neste artigo.
Na maioria das vezes, quando o reencarnante escolhe a mediunidade ativa, na confecção da programação de sua nova existência carnal, é porque se entende devedor e portador de inúmeras mazelas construídas em suas existências anteriores. Por não se perdoar diante de tamanhas faltas, escolhe atuar com essa ferramenta para se enxergar mais íntimo de verdades que seriam por ele propagadas através da mediunidade e se daria a oportunidade de colocá-las em prática no seu dia a dia.
Se doando ao próximo, se vê mais perto do perdão que acredita necessitado de receber de si mesmo. Se fazendo útil, se verá merecedor da cura das mazelas que conquistou durante as suas vidas, tendo provocado dores ao próximo e a si mesmo.
Portando a mediunidade, aquele que é médium tem a oportunidade de se ver como um obreiro precioso de auxílio e de consolo a outros tantos irmãos que necessitam de uma palavra amiga, de um abraço acolhedor. Ele se coloca à disposição do outro em uma tarefa que não a realizaria de outra forma, a não ser possuindo a “tal” mediunidade.
Mas, isso o faz elevado? Muitas pessoas que veem os médiuns com a sua capacidade de comunicação com o plano espiritual, de trazer verdades que são por demais preciosas para as suas vidas, os confundem, em virtudes, com os comunicantes espirituais. Isso traz a esses irmãos o equívoco da admiração exacerbada ou da idolatria, o que pode fazer esses médiuns se perderem de seus propósitos maiores. Essa diferença precisa ficar muito clara para o obreiro espírita. Ele não deve se confundir e achar que todo aquele conhecimento exposto é conquista sua. Para tanto, todo médium é testado pela vida para enxergar-se em sua realidade moral, seja no tocante às suas qualidades, seja em suas dificuldades.
Chico Xavier dizia-se apenas um verme diante de sua tamanha falta de entendimento da vida. Emmanuel, contradizendo-o, dizia que ele estaria ofendendo o verme porque este “é um excelente funcionário da Lei, preparando o êxito da sementeira pelo trabalho constante no solo e funciona, ativo, na transmutação dos detritos da terra, com extrema fidelidade ao papel de humilde e valioso servidor da natureza...”. E como era característica de Emmanuel, terminava dizendo: “Não insulte o verme, pois, comparando-se a ele, porquanto muito nos cabe ainda aprender para sermos fiéis a Deus, na posição evolutiva que já conseguimos alcançar...”[1]
Diante dessa verdade, por vezes, dolorosa ao nosso orgulho exacerbado, como médiuns precisamos estar atentos e não confundirmos o nosso verdadeiro papel que é sermos aprendizes de valiosos mestres espirituais. Absorvendo o entendimento (que é deles) daquilo que sai de nossas bocas, estaremos nos oportunizando um crescimento mais célere, sabendo que ainda estamos longe de entendê-lo na sua mais pura essência.
Após inúmeras oportunidades que serão geradas pelas nossas ações ante os aprendizados adquiridos, nos enxergaremos em nosso verdadeiro potencial e tamanho evolutivo.
Ao final dessa jornada, poderemos nos dar a oportunidade de nos vermos desobrigados com as pendências que acreditávamos possuir e nos libertaremos para outras experiências enobrecedoras em nossas próximas existências.
Mas, e se, apesar de todo o planejamento, quando chegarmos ao plano da carne, não aceitarmos a nossa tarefa medianímica?
Isso já é assunto para um outro artigo.





[1] http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2011/04/chico-xavier-e-o-verme-historia.html

4 comentários

Write comentários
Anônimo
AUTHOR
27 de maio de 2017 05:33 delete

Ah...estou amando cada artigo que fala da nossa mediunidade, e está sendo bem instigante a leitura, a cada final ficamos na expectativa de ler o próximo. Sou grata por tantos ensinamentos e amparo que recebo da espiritualidade e dos amigos obreiros de Jesus. Bjs da Fran

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
27 de maio de 2017 21:33 delete

Ola , boa noite acredito eu q muito pouco sei ,quanto maior o aprendizado ,mais humilde devemos ser ,disciplina sempre ,servir com verdade ,amor e fe ,sei q o medium ,veio ajudar ,amparar fazer o bem sem esperar nada em troca , me interesso muito ,e seja feita a vontade De DEus ,q o mestre SEnhor esteja sempre no meu caminho e no meu coraçao , oq eu puder ajudar concerteza vai ser com muito amor ,no que Jesus me permitir,nao sou melhor q alguem ,e nem pretendo ser ,sei q e arduo o caminhar ,hoje sei ,mas confio ,em Deus , e que MEstre Senhor JEsu ,mae Maria me abençoe e abençoe a todos

Reply
avatar
28 de maio de 2017 16:24 delete

Obrigada, Fran!
Que aprendamos juntas sempre!
Abraços fraternos.

Reply
avatar
28 de maio de 2017 16:25 delete

Que bom que a cada dia haja mais aprendizado e consolo. Espero que essa trajetória seja sempre crescente, "unknown"!!

Reply
avatar