Fracassos ou resultados: o que eu produzo?

10:16 4 Comments A+ a-



Eu estava lendo algumas frases que me marcaram e que eu faço questão de escrevê-las para não esquecer e me deparei com um pensamento de nosso amigo Wanderlei Oliveira que diz: “Não existem fracassos, existem resultados”. Ela me marcou antes e continua me fazendo pensar sobre o nível absurdo de minhas exigências pessoais.
Enquanto acreditarmos que, para nos sentirmos realizados e bem-sucedidos, não podemos jamais fracassar, estaremos vivendo repletos de insatisfações e frustrações. Isso porque não sabemos o que é ter sucesso na vida!
Vamos por partes: para cada ação nossa, haverá uma reação, não é? Tal premissa advém de uma lei divina que nos rege e que não temos como escapar de sua incidência. Mas, será que entendemos que essa reação nos é sempre benéfica? Que somente pelo fato de vivenciarmos os seus efeitos já é motivo de comemoração?
Se tivermos como premissa que fracasso é não alcançarmos as metas que nos propomos, nos sentiremos desestimulados, desanimados, porque colocaremos um ponto final em nossos esforços. A partir daí, acreditaremos que não tivemos sucesso em nossa empreitada e não mais lutaremos pelos nossos sonhos.
Mas, se a verdade é que não acertarmos de primeira faz parte de nosso crescimento como indivíduos, como podemos desejar vencer todas as batalhas se não temos experiências suficiente para sabermos qual a estratégia que deverá ser melhor aplicada naquele caso específico? Necessária a utilização de cada uma dessas experiências até que se compreenda, com a somatória de todos os resultados (positivos e negativos), o que melhor se adapta àquela circunstância.
Nós perdemos a noção do nosso nível de exigência, uma exigência que nos impõe uma vitória atrás da outra, uma perfeição inatingível. Se estamos crescendo dia a dia, se estamos aprendendo com cada uma das experiências com as quais nos deparamos, não há como sabermos tudo e, por conseguinte, não há como acertamos em todas as escolhas e atitudes que tivermos. Essa verdade já nos diz que não há como evitarmos nos equivocar em alguns de nossos empreendimentos. Se não há como evitá-lo, como não queremos vivenciá-lo? E se não o vivenciarmos, como cresceremos? O erro nos impulsiona a acertar; nos faz nos aprimorar como pessoas, como indivíduos, como seres divinos.
O erro não é um fracasso, mas sim um resultado de algo que ainda não dominamos, mas que estamos nos esforçando para compreendê-lo. Quando compreendermos a essência desta experiência, não haverá mais erros.
Se assim é, o que chamamos de fracasso nada mais é do que um resultado em nossas tentativas de acerto, se tornando, por consequência, um instrumento valoroso para a nossa construção íntima, para a nossa edificação como seres melhores.
Aprendamos a valorizar as nossas tentativas de acerto. Aprendamos a nos exigir somente aquilo que temos condições para dar, porque só assim não nos ancoraremos às frustrações que não nos deixarão bem utilizar todo o aprendizado que os resultados de nossa ação nos ensinaram.

Se hoje estamos usando do fracasso para nos martirizar pela “perda” de um sonho, que o transformemos em resultados para que não desanimemos em lutar por ele. Utilizemo-nos deles para que o nosso impulsionamento seja concreto e o aprendizado seja natural e condizente com os objetivos de nossa existência neste planeta escola. 

4 comentários

Write comentários
16 de abril de 2017 18:40 delete

Muitas vezes focamos no resultado ao invés de focarmos no aprendizado que é o verdadeiro ganho que temos. O resultado que consideramos positivo nos dará somente uma satisfação temporária, para em seguida voltarmos a ter novas exigências. O aprendizado é algo que fica para a vida toda, nos dá a experiência necessária para lidarmos com situações parecidas no futuro.

Reply
avatar
16 de abril de 2017 23:41 delete

Adorei a sua observação, Henderson.
Com certeza, conseguiremos, aos poucos e com mais solidez, colocar em prática essa visão mais madura da vida.
Obrigada!

Reply
avatar
25 de abril de 2017 14:24 delete

Já fui muito exigente comigo mesmo em só querer acertar. Hoje gosto e adoto a ideia de que a cada dia estou errando menos em minhas experiências; na próxima tentativa dessa mesma experiência, percebo que erro menos, e assim sucessivamente, vou obtendo melhores resultados em minhas experiências e no meu crescimento pessoal. E ao final fica o resultado satisfatório(acerto), e mesmo esse depois de algum tempo, vamos observar que cabe melhoria.

Reply
avatar
25 de abril de 2017 23:55 delete

Ótima reflexão, Argeu. E que venham as experiências para que nos vejamos nos depurando a cada oportunidade. Abraços.

Reply
avatar