Bem-sucedidos, é assim que nos enxergamos?

13:39 2 Comments A+ a-



Estamos vivenciando um momento em nossa sociedade que, o tempo todo, nos medimos por aquilo que conquistamos em nossa vida material. Quanto mais conquistarmos, mais bem-sucedidos acreditamos ser.

Esse conceito seria ótimo, se não nos fixássemos somente nas conquistas materiais e se não existissem os momentos em que não conseguimos atingir alguns dos nossos objetivos.

Como ainda focamos mais nas experiências negativas do que nas positivas, não percebemos ou valorizamos a maioria de nossas conquistas, por desmerecê-las. Estamos tão focados em resultados finais que não percebemos que estamos subindo vários degraus na escala de nossa vida.

Por isso, faço a pergunta: o que seria o verdadeiro sucesso para cada um de nós? Sucesso é conquistarmos tudo o que queremos? Tudo o que pensamos que nos fará mais felizes?

Se consideramos ter sucesso quando o nosso empreendimento é finalizado positivamente, como lidamos quando o resultado esperado não agrada? Fiquei pensando na figura de Jesus. Se pensarmos que ter sucesso é ter um final glorioso, Jesus poderia se considerar o maior fracassado da história, porque o Seu “fim” foi catastrófico! Materialmente falando, Jesus não vivenciou o resultado que plantou. Somente após muitos séculos, tivemos a certeza da bem-sucedida missão do nosso Mestre. Não é algo a ser pensado?

Está claro para todos nós que não há ninguém neste mundo que conseguiu ser 100% bem-sucedido em tudo o que tentou construir. Analisando o contexto geral, até aqueles que são um exemplo de sucesso em seus ramos de negócio indicarão alguns momentos em que tudo pareceu ter dado errado ou que o seu sonho original foi trocado por outro. Mas, o que os diferencia das “pessoas comuns”? Eles utilizam todas as experiências que têm para darem novos cursos aos seus sonhos. Não desanimam e adaptam os seus objetivos naquilo que seria possível alcançar. Aceitam, até mesmo, mudar os seus sonhos, porque a sua felicidade não está, tão somente, na sua concretização, mas sim, na visão que eles têm sobre si mesmos. O objetivo pode estar equivocado, mas não a sua capacidade para atingi-lo.

Esse é o grande problema que enfrentamos diariamente. Muitos de nós não conseguimos enxergar essa diferença. Vemos os outros “vencendo” e queremos isso para nós também, mas não nos preocupamos em ficar sabendo o quanto eles lutaram para alcançar os seus sonhos e desanimamos diante das dificuldades que nos chegam, acreditando-nos fracassados nas primeiras experiências.

Então, podemos concluir que para conseguirmos atingir os nossos sonhos, precisamos compreender que poderemos falhar também em algum momento, mas, jamais, duvidarmos da nossa capacidade de nos moldarmos às mudanças necessárias para atingirmos esses ou outros objetivos.

Fica claro que estamos aqui falando não só de ascensão social, mas, principalmente, de nossa evolução espiritual. E, se falamos desse último, temos de mencionar a importância de nossas ações equivocadas para o nosso crescimento. Se ainda estamos nos fixando nos momentos de dor para apreender as lições da vida, então, é por demais necessário que alguns caminhos surjam para entendermos que não será por ali que alcançaremos as nossas metas. Ainda, a vida sempre nos auxiliará neste processo, porque não temos experiência suficiente para sabermos o que é o melhor para nós. Por meio deste processo, aprendemos também a confiar em Deus e saber que Ele está a nos amparar para não cairmos em armadilhas que a nossa ignorância pode nos levar.

Se é assim, o que é o fracasso? Se a vida nos auxilia a não seguirmos por caminhos tortuosos, extremamente prejudiciais a nós, começo a acreditar que o fracasso é uma ideia errada que temos sobre nós mesmos. Vinculamos o não chegar aonde queremos a ideia que “não fomos capazes de”. Então, nos sentimos derrotados, fracassados.

Acreditemos que não fracassamos se fizermos tudo o que está ao nosso alcance. Se não conseguimos atingir aquilo que achamos que nos fará felizes é porque ainda não encontramos o melhor percurso para tê-lo ou, simplesmente, não é para ser atingido.  Acreditemos na Sabedoria Divina.

A nossa vida é um eterno emaranhado de resultados que surgem a cada ação nossa e a cada reação da vida. Ela está nos auxiliando a lidar com o livre arbítrio que temos. Pensamos em conquistar os ideais que a sociedade entende ser o melhor para nós, mas a vida pode nos dizer: “Ainda não! Fortaleça-se que, no tempo certo, virá a experiência que o fará realmente feliz”.

Sim, meus amigos. Tudo o que vivemos serve para nos conhecermos, nos perdoarmos, nos entendermos como filhos de Deus! Todos os nossos sonhos precisam nos levar a esses objetivos divinos. Se eles (sonhos) nos afastarem de nós mesmos, tenham certeza, que a vida nos auxiliará para que retomemos o caminho mais reto, porque é o que, espiritualmente, queremos para nós. Como podemos dizer então que estamos fracassando? Estamos sim é aprendendo. Para isso, precisamos nos aproximar mais e mais de nós mesmos.

Há alguns meses atrás, eu li no facebook, uma frase de nosso amigo Wanderley Oliveira que ficou muito marcada em mim. Ela dizia: “Não existem fracassos, existem resultados”.  Todas as nossas ações nos trarão um resultado. Seja ele positivo ou não (aos nossos olhos), nos ajudará a compreender o que queremos para nós, e se tivermos olhos para ver e ouvidos para ouvir, não nos demoraremos amargando os “fracassos” de nossa vida, mas sim, agradecendo por todos os “resultados” que nos ajudam a crescer.


Bem-sucedidos? O tempo inteiro.

2 comentários

Write comentários
2 de outubro de 2017 06:22 delete

O problema é que medimos o nosso sucesso pelo resultado que esperamos, não pelos aprendizados, pelo que conquistamos no meio do caminho. Esse é um exercício diário que temos que praticar, e saber valorizar o que realmente importa.

Reply
avatar
3 de outubro de 2017 10:26 delete

É verdade, Henderson. Enquanto não mudarmos o nosso foco, não compreenderemos o que realmente importa para o nosso verdadeiro Ser. Mas, aprenderemos um dia e, quando isso acontecer, tudo será diferente! Abraços fraternos.

Reply
avatar