Porque é tão difícil viver esta vida?

12:50 0 Comments A+ a-


Já aviso que, com esse título, não é minha intenção discorrer, nestas parcas linhas, que a vida é dura e que estamos fadados a sofrer por muitas existências para que alcancemos a paz em nossos corações. Eu quero conversar sobre essa ideia muito disseminada, seja verbal, seja mentalmente, por todos nós em muitos momentos de nossa vivência.

Por isso, ela nos é tão familiar.

Ela, normalmente, é o resultado de nossas frustrações diante de experiências que não nos enxergamos capacitados ou seguros de enfrentá-las. Daí, se exterioriza de nós essa expressão como se fosse a pressão com que uma rolha sai de uma garrafa de champanhe quando a abrimos em um momento de festividade. Em nosso caso, entretanto, não percebemos que agindo assim estamos construindo uma “crença”, uma “verdade” que nos sairá cara com o passar do tempo!

Nós não entendemos ainda a nossa capacidade de construir! Nós não entendemos que, se somos filhos do Criador, somos pequenos construtores também e diretamente responsáveis pelas nossas vidas e pelas ondas que nos embalam no mar de nossa existência.

Somos os principais causadores de todos os naufrágios de nossa pequena embarcação, somente porque não estamos atentos aos limites nela estabelecidos. Queremos que ela aguente mais do que pode suportar, pura e simplesmente, porque não aceitamos a nossa perfeição conquistada.

Sei que muitos pararam aqui e pensaram: mas que perfeição? Sobre o que ela está falando? Somos tão imperfeitos!

Como diz uma pessoa que muito quero bem: “somos a nossa melhor obra prima”. A cada minuto do nosso viver nos aperfeiçoamos mais e mais, porém, nós  já somos perfeitos porque, primeiro, somos uma construção de Deus; e, segundo, porque somos o reflexo do melhor de nós em cada um desses minutos.

Se começarmos a nos aceitar como estamos, daremos o primeiro passo para a compreensão de nossas dificuldades. Diante dessa nova postura, começaremos a perceber que estamos crescendo e não mais nos envergonharemos de nossos equívocos, porque os entenderemos como uma parte de nossa própria existência.

Então, perceberemos que não é difícil viver... É trabalhoso angariar experiências para atingirmos os picos de nossas cordilheiras interiores. Mas, se são nossas, se estão em nós, estaremos seguros para realizarmos essas aventuras e nos sentirmos vitoriosos ante a nossa empreitada.
Paremos alguns minutos e olhemos para o nosso caminhar. O que tememos? O que nos faz não querermos ultrapassar as curvas da vida? O que nos paralisa a ponto de não lutarmos pelos nossos sonhos?

Não sei se concordarão comigo, mas, hoje em dia, o natural é exacerbarmos o negativo. Estamos tão acostumados a agir assim que não percebemos que estamos fazendo isso conosco, ou seja, valorizamos muito mais o que fazemos de errado do que o que acertamos com todo o nosso esforço. Não percebemos que para nós, no estado evolutivo que estamos, é mais difícil acertamos do que errarmos! Então, cada acerto, cada escolha acertada no caminho reto de nossa redenção era para ser muito mais valorizado, mas não é isso que fazemos. Ficamos presos nos grilhões das culpas pelos nosso equívocos e não percebemos como já melhoramos em nossa escala evolutiva!

Se fizermos uma escolha hoje de sermos mais compreensivos ante as nossas dificuldades, perceberemos que a vida não mais será difícil de viver, mas será uma grandiosa experiência de aprendizados e crescimentos valorizados segundo a nossa capacidade de construí-los.
Vivamos então!